Como funciona o financiamento de veículos?

 

O financiamento para a compra de veículos novos ou usados é feito em diferentes bancos privados e públicos, através do CDC (Crédito Direto ao Consumidor).

Para isso, as pessoas podem entrar em contato diretamente com os bancos, informando-se com um gerente como o financiamento pode ser feito.

Os valores e parcelas do financiamento são negociados de acordo com o salário do comprador.

Assim, a negociação é realizada sem intermediação da loja (concessionária) que vende o veículo.

Há também as opções de leasing, em que o veículo é alugado com opção de compra, e o consórcio, em que o veículo só é recebido quando a pessoa é sacada.

 

 

Tipos de financiamento

 

 

O financiamento para a compra de veículos novos ou usados pode ser feito em três modalidades: CDC (Crédito Direto ao Consumidor), leasing e consórcio.

 

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

Pela CDC, o consumidor contrai um empréstimo num banco para comprar o veículo. O veículo permanece na posse do comprador, mas não pode ser negociado (é vendido ao banco) até que todas as parcelas sejam pagas.

 

A pessoa pode fazer contato diretamente com o banco, sem intermediação da loja que vende o veículo (revendedor).

 

Desta forma, pode negociar as taxas de juros que serão pagas. Elas são fixadas no início do contrato e não se alteram durante o pagamento das prestações.

 

Locação

 

Nesta opção, quem compra o veículo é a chamada empresa de leasing (um banco que trabalha com este tipo de serviço), que aluga o veículo ao consumidor.

 

Assim, o cliente paga o aluguer do veículo, que permanece em nome da empresa de leasing até ao final das prestações, quando, sem ter de pagar mais prestações, o consumidor passa a ser o proprietário do veículo.

 

O contacto com estes bancos pode ser feito sem intermediação da loja vendedora do veículo.

 

Isso permite a negociação direta das taxas de juros, que são fixadas no início do contrato e não se alteram ao longo do período de pagamento.

 

Consórcio

 

Aqui o consumidor faz parte de um grupo formado por outros compradores, organizado por um administrador do consórcio.

 

O cliente paga as prestações, mas só recebe o veículo quando este é sorteado (uma vez por mês é considerada uma pessoa). Além do sorteio, há a possibilidade do consórcio oferecer uma proposta, que é um adiantamento de parcelas a serem ganhas. Neste caso, o consórcio que oferecer a maior quantia será o vencedor da licitação.

 

Nesta situação, ao contrário do CDC e do leasing, as parcelas mudam, ao longo do pagamento, de acordo com a variação do preço do carro que será adquirido.

 

Assim, se o preço aumenta, a parcela sobe; se o preço do automóvel diminui (por exemplo, se há uma redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), a parcela segue essa redução.

 

Os contratos de consórcio podem ter uma duração de até 84 meses. É cobrada uma taxa de administração pelos serviços prestados pela empresa.

 

Esta taxa, que é cobrada mensalmente, varia de acordo com o administrador.

 

Diferenças e semelhanças entre os tipos de financiamento

Taxas de juros

No CDC e no leasing, as taxas de juros são fixadas no momento da celebração do contrato.

 

Não há alterações durante o pagamento das prestações.

 

No consórcio, não são cobrados juros, mas sim uma taxa de administração fixada no contrato. A variação das prestações está relacionada com alterações no preço do carro, que podem aumentar ou diminuir de valor.

 

Outras taxas

 

No início do contrato, o consumidor é cobrado o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

 

O IOF é cobrado apenas no CDC e no consórcio.

 

Inadimplência do Consumidor

O que acontece quando o consumidor não paga as prestações antes de a dívida terminar?

 

CDC

 

O banco pode entrar com uma ação judicial para manter o veículo, que é leiloado.

 

Esta quantia é usada para pagar a quantia em falta e as despesas legais que o banco tinha. O valor restante é devolvido ao consumidor.

 

Leasing

 

A empresa toma medidas legais para retirar o veículo do consumidor, que não recebe nenhuma parte do dinheiro que pagou.

 

Consórcio

 

O consumidor que deixa de pagar os serviços do consórcio, de acordo com a Lei 11.795 de 2009, é agora considerado um consórcio excluído. Desta forma, ele participará de sorteios mensais entre os excluídos. Ao ser sorteado, ele tem direito aos valores pagos corrigidos e deduzidos das penalidades previstas no contrato.

 

O consórcio ainda não contemplado pode também tentar transferir a quota para outro consumidor, desde que essa transferência seja feita e aprovada pelo administrador. O consórcio que já tenha sido contemplado não tem essa prerrogativa.

 

Multas

 

Em caso de atraso, os consumidores devem prestar atenção à multa e aos juros cobrados por mês:

 

A multa paga não pode ser superior a 2% do total da dívida

Os juros por mês de atraso não podem exceder 1% do total da dívida (no caso do CDC e do leasing)

Para os consórcios, aplica-se uma multa de 2% e custos de cobrança. Também pode haver uma actualização do valor da prestação devido à variação do valor do veículo.

Documentos necessários para a realização do financiamento

RG (Bilhete de Identidade), original e cópia

CPF (Cadastro de Pessoa Física), original e cópia

Comprovante de estado civil, original e cópia

Comprovante de renda (holerite ou extrato bancário), original e cópia

 

 

https://motoresweb.com.br/ferramentas/simulador/